Kawasaki apresentou no Salão de Milão, que aconteceu no início de novembro, a naked Z 400. O novo modelo usa o motor de dois cilindros e 399 cm³ que equipa a sua “irmã” esportiva, a Ninja 400, mas não tem carenagem. A Z 400 deverá chegar o Brasil somente no segundo semestre do próximo ano e possivelmente será mostrada no Salão Duas Rodas 2019. O modelo tem como atrativo a facilidade de pilotagem, design imponente e peso reduzido.

A nova naked da Kawasaki mostra que a fabricante está um passo a frente das concorrentes no segmento das compactas premium. No Brasil, a Z400 terá a concorrência da Yamaha MT-03 – que usa motor de dois cilindros, porém com 42 cv – e a KTM 390 Duke, que tem 44 cv de potência, mas motor monocilíndrico.

O bicilíndrico da Z 400 e atinge a potência máxima de 48 cavalos. Porém o grande atrativo é o torque próximo de 4 kgf.m. Tal característica facilita a pilotagem, pois não exige muita aceleração nas arrancadas ou ultrapassagens. Outra novidade herdada da Ninja 400, que tem câmbio de seis marchas, é a embreagem deslizante, que evita derrapagens em caso de reduções fortes ou engates errados de marchas. 

Ciclística e peso
O quadro de aço em treliça remete ao desenho da superesportiva H2 e usa o motor como elemento estrutural. O entre-eixos curto (1.369 mm) e o centro de gravidade baixo facilitam a pilotagem em velocidades reduzidas e as mudanças de direção em meio ao trânsito travado.

A suspensão usa garfo telescópico na dianteira (curso de 120 mm) e monoamortecedor na traseira com cinco regulagens e 130 mm de curso. O conjunto de freios tem disco dianteiro de 310 mm e 210 mm na traseira com sistema ABS de série. 

As rodas de liga ganharam novos desenhos e têm 17 polegadas de diâmetro. Elas usam pneus 110/70, na dianteira, e 150/60, na traseira. Segundo a Kawasaki, o design mais afilado da Z400, suas novas rodas e até o conjunto de escape mais “enxuto” foram capazes de manter o peso de 177 kg. “Baixo considerando o porte da moto”, informa a empresa em seu comunicado à imprensa. 

Na busca por uma posição confortável de pilotagem o fabricante instalou um guidão largo, pedaleiras não tão recuadas e banco a somente 78 cm do solo. O único cuidado deve ser tomado ao subir em guias, por exemplo, pois a Z400 está a poucos 14 cm do solo. 

O enorme painel tem design inovador e de fácil leitura ao misturar mostradores analógicos e digitais. O mostrador destaca a marcha engatada e ainda avisa se o piloto está sendo econômico em sua tocada – o famoso ‘ECO’, que aparece no painel. 

A julgar pelos dados técnicos da Kawasaki Z400 ela tem tudo para fazer o mesmo sucesso experimentado pela sua “irmã menor”, a Z 300 – que vendeu mais do que a Ninja 300 no Brasil. Sua principal concorrente será a Yamaha MT-03, a mais vendida do segmento, mas que tem motor menor e menos potência. Como é de conhecimento geral, “cilindrada” e potência são fortes apelos de venda no Brasil.

Fonte:

Equipe MOTO.com.br / Agência Infomoto

Fonte: Moto.com.br

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do General Osório Motos.